Desde 2009 atuando em São Paulo, capital, a jovem incorporadora Vitacon já acumulou uma carteira de imóveis de R$ 700 milhões e uma das melhores rentabilidades do setor. Em 2012, a Vitacon selecionou a Prole para uma missão desafiadora: reinventar o mercado imobiliário paulistano, promovendo imóveis que apoiam alternativas ao carro, levantando a bandeira da mobilidade urbana inteligente para toda a cidade. Para isso, a Prole sugeriu o lançamento de um livro de título provocador: “Como viver em São Paulo sem carro”. No próximo dia 05 de julho, às 20h, no restaurante Spot, na Alameda Ministro Rocha Azevedo, na capital paulista, será lançado o livro “resultante desse projeto.
A obra é assinada pelo empresário Alexandre Lafer Frankel e pelo jornalista Leão Serva. Em suas páginas 12 histórias de pedestres ilustres que decidiram viver a maior cidade do País sem automóveis. “Sou pedestre convicta há anos, mas não gosto de circuitos monótonos”, diz a consagrada autora de novelas da Rede Globo, Maria Adelaide Amaral. Já a apresentadora da GNT Rita Lobo afirma: “Procurei conciliar trabalho, casa, escola dos filhos tudo no mesmo bairro”, explica ela que também prefere os automóveis na garagem. Raí, ex-jogador de futebol pergunta: “O que fazemos quando o trânsito está parado? Espera todo parar de andar de carro para parar também? Eu decidi pedalar”, resume. Os textos são do jornalista Leão Serva e as fotos do cultuado fotógrafo Claudio Edinger. Com 81 páginas, o livro apresenta os 12 personagens discorrendo sobre seus trajetos favoritos e dando dicas de lazer, cultura, gastronomia e, claro, de caminhos para quem se aventurar no mundo “livre de veículos”. “Não tenho carro, minha habilitação está vencida e acredito que a cidade tem de encontrar uma forma de se reinventar”, explica Frankel que idealizou a obra diante das dificuldades vividas por milhões de paulistanos diariamente.
O livro traz ainda dados inéditos levantados em uma pesquisa de opinião pública, realizada pelo instituto Ipespe sobre como os moradores se relacionam com a questão da mobilidade urbana. O dado mais surpreendente, segundo Serva, revela que 65% dos paulistanos estariam propensos a mudar suas residências para locais perto do trabalho, desde que mantido o mesmo padrão de vida. O estudo também mostra que para a mesma porcentagem da população, 65%, o trânsito é considerado o pior problema da cidade, a frente da poluição.
Frankel, idealizador da obra, pretende editar um novo guia a cada ano, apresentando diferentes personagens e visões sobre as possibilidades de uma São Paulo sem carro. Sua empresa, a Vitacon, é uma incorporadora que desenvolve seus projetos fundamentados em novas opções de mobilidade urbana (como o aluguel de carros e bicicletas para os moradores), em terrenos próximos a estações do Metrô, procurando aproximar as pessoas de seus locais de trabalho. O empresário acredita que este é o caminho para uma cidade com menos trânsito, menos stress e mais horas livres para outras atividades.